fbpx Skip to content

Os benefícios da Coenzima Q10 e quando é preciso suplementar

Os benefícios da Coenzima Q10

Veja no post de hoje os benefícios da Coenzima Q10 e quando é preciso suplementar.

A coenzima Q10 (CoQ10) ou ubiquinona, embora não seja classificada como vitamina, tem propriedades semelhantes, pois atua na produção de energia das células e também como antioxidante.

Seu consumo não é essencial e tanto o organismo dos humanos e animais, quanto dos vegetais, são capazes de sintetizá-la.

No entanto, há casos em que pode haver deficiência deste nutriente e aí sim a suplementação pode ser bem-vinda – usuários de estatinas, pessoas idosas, pessoas que sofrem de enxaqueca, dentre outros.

 

Função da Coenzima Q10

Sua principal função é atuar como uma coenzima, ou seja, é uma molécula auxiliar ao funcionamento de uma ou mais enzimas, assim como as vitaminas e os minerais.

A CoQ10 auxilia enzimas envolvidas na produção da molécula de adenosina trifosfato (ATP), responsável por fornecer energia para nossas funções vitais. Esse processo em que a CoQ10 participa é chamado de respiração celular e ocorre dentro da mitocôndria, uma organela presente no interior de quase todas as nossas células (com exceção das hemácias).

Todos os macronutrientes – carboidratos, proteínas e gorduras – depois de digeridos, transformam-se em energia na forma de ATP e, por isso o ATP é conhecido como a moeda de troca de energia do organismo.

Logo, os níveis de CoQ10 são abundantes em todo o corpo, mas ainda maiores em órgãos com grande demanda metabólica, como coração, rins, fígado e cérebro.

A CoQ10 também funciona como um potente antioxidante, muito semelhante à vitamina E.

O papel dos antioxidantes é combater agentes químicos estranhos ao organismo, chamados de radicais livres. Esses radicais têm o potencial de oxidar as nossas células e os antioxidantes as protegem oxidando-se no lugar delas.

Esses radicais são formados naturalmente, pois são um dos subprodutos da respiração. Mas formam-se também pela exposição à poluição, tabagismo, solventes orgânicos, anestésicos, pesticidas e radiações.

 

Fontes naturais

A CoQ10 é formada no organismo a partir de duas moléculas principais: o aminoácido tirosina (sintetizado naturalmente a partir da fenilalanina, que é um aminoácido essencial) e da acetilcoenzima A (Acetil-CoA), uma molécula muito abundante no organismo, produto do metabolismo dos macronutrientes.

Já nos vegetais encontra-se na forma de plastoquinona, necessária para o processo de respiração celular dos vegetais e, consequentemente, a fotossíntese.

Por esse motivo, ela é encontrada amplamente nas carnes, aves, peixes, folhas, leguminosas e oleaginosas.

 

Os benefícios da Coenzima Q10 e quando é preciso suplementar

Os benefícios da suplementação de CoQ10 são evidentes apenas quando, por algum motivo, há uma deficiência na sua produção pelo organismo. Portanto, se estamos saudáveis, suplementar poderia trazer apenas o seu benefício antioxidante, o que é facilmente obtido através do consumo de frutas, legumes e verduras.

Dada sua importância ao organismo, a suplementação pode ser interessante para:

  • Pessoas que fazem uso de estatinas (medicação para diminuir a produção de colesterol) – as estatinas inibem um dos compostos que forma o colesterol, mas que também está relacionado à formação da CoQ10. Logo, quem faz uso de estatinas, certamente possui deficiência de CoQ10. A suplementação também pode ser benéfica para tratar a mialgia (dor muscular) relacionada às estatinas.

 

  • Pessoas que fazem uso de medicamentos betabloqueadores (atenolol, propranolol, entre outros) utilizados para o tratamento da enxaqueca, pressão alta e doenças cardiovasculares. No entanto, quem faz uso de anticoagulantes para o coração, não deve suplementar CoQ10.

 

  • Idosos – os níveis de CoQ10 tendem a diminuir com a idade (processo que se inicia mais precisamente a partir dos 35 anos de idade).

 

  • Pessoas que fazem uso de antidepressivos da classe dos tricíclicos (amiltriptilina, nortriptilina, entre outros) para o tratamento de depressão, ansiedade, TDAH, enxaqueca.

 

  • Portadores de doenças neurodegenerativas, como Parkinson, Huntington, Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), ataxia de Friedreich, dentre outras.

 

  • Portadores de distúrbios mitocondriais, como Neuropatia óptica hereditária de Leber (LHON), Encefalomiopatia mitocondrial, acidose láctica e episódios similares a acidentes vasculares cerebrais (MELAS), dentre outras.

 

Seu uso ainda pode ajudar a prevenir e tratar doenças cardiovasculares (cardiomiopatia, insuficiência cardíaca congestiva), obesidade, diabetes, degeneração macular relacionada à idade (DMRI), doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), asma, câncer, fibromialgia e hepatite C, mas os estudos ainda são inconclusivos.

Alguns estudos também demonstram que a suplementação de CoQ10 pode ser benéfica à melhora do desempenho esportivo e da recuperação, em atletas profissionais e amadores.

No entanto, uma vez ajustado o consumo de proteínas de alto valor biológico (já que a síntese de CoQ10 depende da fenilalanina), bem como o consumo de frutas, legumes e verduras (fontes de antioxidantes), a suplementação de CoQ10 pode não apresentar benefícios adicionais, a menos que possa haver uma diminuição na sua síntese relacionada à idade do atleta.

 

Deficiência

Tendo em vista suas funções para a produção de energia, a deficiência pode causar cansaço e indisposição. Se houver a presença desses sintomas, é possível verificar se é devido a deficiência de CoQ10 através de um exame de sangue, em jejum de 12 horas.

Os valores normais devem ser entre 0,5 mg/L e 1,8 mg/L e caso esteja fora desses parâmetros, é importante considerar um acompanhamento médico.

 

Efeitos colaterais

Não foram relatados efeitos colaterais graves com dosagens usuais de CoQ10. Já uma superdosagem pode ocasionar efeitos colaterais leves, como insônia, dores de cabeça, distúrbios digestivos, dor abdominal, náuseas ou vômitos.

 

Contraindicações

A CoQ10 pode reduzir a eficácia do anticoagulante varfarina, o que pode aumentar o risco de um coágulo sanguíneo.

Antes de considerar suplementar a CoQ10, certifique-se com seu médico ou nutricionista de que não interagirá com outros medicamentos que estiver utilizando.

 

Como suplementar a Coenzima Q10

As doses variam, de maneira geral, entre 100 a 200mg por dia.

Seu efeito clínico pode levar até 8 a 12 semanas para apresentar-se.

Os suplementos costumam ser vendidos em cápsulas de 500mg, contendo 100mg de CoQ10 e podem estar na forma de ubiquinona ou na forma de ubiquinol, sendo este segundo mais facilmente absorvível pelo organismo.

 

Conclusão

Como vimos, a necessidade de suplementação é muito individual. E por mais que um suplemento seja natural, não significa que não possa ter efeitos colaterais ou contraindicações. Por isso, sempre procure um nutricionista para te orientar.

E não esqueça: alimentação equilibrada, prática regular de exercícios físicos e manejo do estresse são os três pilares para uma vida saudável e antes de pensarmos em qualquer suplementação, devem estar em primeiro lugar.

Gostou de saber mais sobre os benefícios da coenzima Q10? Se sim, não esqueça de compartilhar este post com os seus amigos e em suas redes sociais.

 

Suplementos Boomi

E pra você que quer usufruir dos benefícios da Coenzima Q10, aqui estão algumas opções que você encontra na Boomi:

Coenzima Q10 CoQ10 Ubiqsome Ah! Natu 30 Cápsulas

benefícios da Coenzima Q10

 

Coenzima Q10 CoQ10 Vitafor 30 Cápsulas

benefícios da Coenzima Q10

 

Coenzima Q10 CoQ10 Vitafor 60 Cápsulas

benefícios da Coenzima Q10

Fernanda Furmankiewicz (CRN/SP 6042) – Nutricionista e Curadora da Boomi

1

Ver carrinho